Lincocina

Para que serve folheto informativo, informação para o utilizador

Folheto / Bula do Medicamento


Recomendações

  • Sempre verifique que não é alérgica a nenhum dos componentes
  • Lembre-se, sempre verifique com seu médico, a informação que nós oferecemos é indicativa e não de forma alguma substituir a de seu médico ou outro profissional de saúde.




FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR
Lincocina 500 mg Cápsulas
Lincomicina

Leia atentamente este folheto antes de tomar este medicamento
- Conserve este folheto. Pode ter necessidade de o reler.
- Caso ainda tenha dúvidas, fale com o seu médico ou farmacêutico.
- Este medicamento foi receitado para si. Não deve dá-lo a outros; o medicamento pode
ser-lhes prejudicial mesmo que apresentem os mesmos sintomas.
- Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar quaisquer efeitos secundários
não mencionados neste folheto, informe o seu médico ou farmacêutico.

1. O que é Lincocina e para que é utilizado
2. Antes de tomar Lincocina
3. Como tomar Lincocina
4. Efeitos secundários possíveis
5. Como conservar Lincocina
6. Outras informações

1. O QUE É Lincocina E PARA QUE É UTILIZADO
A Lincocina é um antibiótico destinado ao tratamento de doenças infecciosas provocadas
por bactérias.
Administrada somente sob prescrição médica, a Lincocina (lincomicina) é um antibiótico
indicado para o tratamento de diversas doenças infecciosas, tais como: infecções das vias
respiratórias superiores (amigdalites, faringites, sinusites, otites médias e escarlatina), das
vias respiratórias inferiores (bronquites, pneumonia, abcesso pulmonar), infecções da
pele e tecidos moles (celulite, acne, furúnculos, abcessos, feridas infectadas, erisipela),
infecções ósseas ou articulares, incluindo osteomielites e artrites, certos casos de
septicémia e endocardites.

2. ANTES DE TOMAR Lincocina
Não tome Lincocina
- Se tem alergia (hipersensibilidade) à lincomicina e clindamicina ou a qualquer outro
componente de Lincocina.
Tome especial cuidado com Lincocina
O antibiótico lincomicina contido na Lincocina foi-lhe prescrito para o tratamento da sua
situação clínica específica e actual. Este medicamento não actua sobre todas as bactérias



causadoras de infecções. A utilização de um medicamento inadequado ou doseado de
forma indevida pode provocar complicações. Por isso, nunca o deve utilizar para o
tratamento de outras doenças ou de outras pessoas.
A Lincocina deve ser usada com precaução em doentes com doenças hepáticas, renais ou
gastrointestinais.
Tal como acontece com outros antibióticos, o uso da Lincocina pode desenvolver colites
graves. O aparecimento de sintomas de colite associada ao uso de antibióticos pode
ocorrer durante o tratamento, ou após 2 ou 3 semanas. Em tal caso, deverá interromper a
administração do medicamento, e prevenir de imediato o seu médico. Por isso, a
lincomicina deve ser administrada com cuidado, prevenindo sempre o seu médico, no
caso de insuficiência renal ou hepática grave, antecedentes alérgicos e de colite.
Caso surja diarreia, deve contactar o seu médico, que poderá suspender o tratamento. Os
medicamentos antiperistálticos tais como opiáceos e difenoxilato com atropina podem
prolongar ou agravar a situação, pelo que não devem ser prescritos.
Tomar Lincocina com outros medicamentos
Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente
outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica.
A eritromicina, uma outra substância dotada de propriedades antibacterianas, pode
interferir com a acção da Lincocina. Por isso, os dois medicamentos não devem ser
utilizados em simultâneo.
Existem ainda outros fármacos que podem interferir na acção da Lincocina, como a
clindamicina e medicamentos bloqueadores neuromusculares.
O caulino reduz em 90% a biodisponibilidade da lincomicina.
Gravidez e aleitamento
Consulte o seu médico ou farmacêutico antes de tomar qualquer medicamento.
Deve evitar a utilização da Lincocina durante a gravidez ou aleitamento, salvo prescrição
do seu médico.
Condução de veículos e utilização de máquinas
Os efeitos da lincomicina sobre a capacidade de conduzir e utilizar máquinas são nulos.
Informações importantes sobre alguns componentes de Lincocina
A Lincocina contém lactose; se foi informado pelo seu médico que tem intolerância a
alguns açúcares, contacte-o antes de tomar este medicamento.

3. COMO TOMAR Lincocina



Tomar Lincocina sempre de acordo com as indicações do médico. Fale com o seu médico
ou farmacêutico se tiver dúvidas.
Administração por via oral. O seu médico estabelecerá a posologia e duração do período
de tratamento, consoante a gravidade da infecção a tratar.
Em geral, as doses recomendadas são as seguintes:
- Adultos, 500 mg de 8 em 8 horas ou de 6 em 6 horas, dependendo da gravidade da
situação a tratar;
- Crianças (com mais de 1 mês de idade): 30 a 60 mg/kg/dia divididas em 3 ou 4 tomas
iguais, dependendo da gravidade da situação.
As cápsulas devem ser tomadas uma ou duas horas antes ou depois das refeições,
acompanhadas de um copo de água.
Caso se tenha esquecido de tomar Lincocina
Se se esquecer de tomar uma cápsula, deve tomá-la assim que se lembre. Se estiver quase
na hora de tomar a dose seguinte, tome-a à hora habitual. Não tome nenhuma dose a
dobrar para compensar uma cápsula que se esqueceu de tomar.
Se tomar mais Lincocina do que deveria
Se tomou cápsulas em excesso por acidente, deve contactar o seu médico ou dirigir-se
imediatamente ao Serviço de Urgências do hospital mais próximo.
Caso ainda tenha dúvidas sobre a utilização deste medicamento, fale com o seu médico
ou farmacêutico.

4. EFEITOS SECUNDÁRIOS POSSÍVEIS
Como todos os medicamentos, Lincocina pode causar efeitos secundários, no entanto
estes não se manifestam em todas as pessoas.
A Lincocina é geralmente bem tolerada. As dores abdominais, náuseas, vómitos e
diarreias constituem os efeitos indesejáveis mais frequentes. No caso de diarreias graves
e persistentes, associadas a cólicas abdominais e febre, deve suspender o tratamento com
a Lincocina e informar de imediato o seu médico assistente.
Podem ocorrer manifestações alérgicas associadas ao uso deste medicamento, como
prurido, erupções cutâneas e urticária.
Registaram-se ainda casos de neutropénia, leucopénia, agranulocitose, icterícia e
alteração dos valores laboratoriais das provas da função hepática.
Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar quaisquer efeitos secundários
não mencionados neste folheto, informe o seu médico ou farmacêutico.



5. COMO CONSERVAR Lincocina
Manter fora do alcance e da vista das crianças.
As cápsulas de Lincocina devem ser conservadas ao abrigo da humidade, a temperatura
inferior a 30ºC. Não utilize Lincocina após o prazo de validade impresso na embalagem
exterior. O prazo de validade corresponde ao último dia do mês indicado.
Os medicamentos não devem ser eliminados na canalização ou no lixo doméstico.
Pergunte ao seu farmacêutico como eliminar os medicamentos de que já não necessita.
Estas medidas irão ajudar a proteger o ambiente.

6. OUTRAS INFORMAÇÕES
Qual a composição de Lincocina
A substância activa é a lincomicina. Cada cápsula de Lincocina contém 500 mg de
lincomicina, sob a forma de cloridrato de lincomicina.
Os outros componentes são:
Lactose mono-hidratada, talco e estearato de magnésio
Corpo e cabeça da cápsula: Gelatina, dióxido de titânio (E171) e indigotina (E132)
Qual o aspecto e o conteúdo da embalagem
Lincocina apresenta-se na forma farmacêutica de cápsulas, acondicionadas em blisters de
PVC/Alumínio. Lincocina apresenta-se em embalagens com 16 e 30 cápsulas.
É possível que não sejam comercializadas todas as apresentações.

Titular da Autorização de Introdução no Mercado
Laboratórios Pfizer, Lda.
Lagoas Park, Edifício 10
2740-271 Porto Salvo
Fabricante
Pfizer Manufacturing Belgium N.V. (Fab. Puurs)
Rijksweg 12
B-2870 Puurs
Bélgica

Este folheto foi aprovado pela última vez em