BARYTA ACETICA

Para que serve folheto informativo, informação para o utilizador

Folheto / Bula do Medicamento


Recomendações

  • Sempre verifique que não é alérgica a nenhum dos componentes
  • Lembre-se, sempre verifique com seu médico, a informação que nós oferecemos é indicativa e não de forma alguma substituir a de seu médico ou outro profissional de saúde.


BARYTA ACETICA


Ba(CH3CO2)2; 255,42

Sinonímia homeopática. Baris acetas, Barium aceticum, Acetas baritae

Nome químico. acetato de bário

DESCRIÇÃO

Caracteres físico-químicos. Pó ou cristais brancos.

Solubilidade. Facilmente solúvel em água, pouco solúvel em etanol.

Incompatibilidades. Ácidos inorgânicos, alcalis, carbonatos alcalinos, fosfatos alcalinos, oxalatos
solúveis, alumen, borato de sódio.

Densidade relativa (V.2.5) F. Bras. IV. Cerca de 2,47 g/ml a 20 ºC.

Ponto de fusão. 450 °C.

ESPECIFICAÇÃO

Contém, no mínimo, 99,0 % de Ba(CH CO ) , calculado com referência à substância seca a 105
3
2 2
ºC, até peso constante.

IDENTIFICAÇÃO

A. Pequena quantidade da amostra, umedecida com ácido clorídrico, em alça de platina levada à
zona não iluminante do bico de Bunsen, imprime cor verde-clara à mesma.

B. A solução aquosa é neutra ou ligeiramente ácida ao papel de tornassol.

C. A 2 ml de solução aquosa da amostra a 5% (p/V), adicionar 10 gotas de solução aquosa de
ácido sulfúrico a 5% (p/V). Observa-se a formação de precipitado branco insolúvel em ácido
clorídrico e em ácido nítrico diluídos.

ENSAIOS DE PUREZA

Cloretos. Proceder ao ensaio-limite para cloretos (V.3.2.1) F. Bras. IV. No máximo 5 ppm.

Metais pesados. Proceder ao ensaio-limite para metais pesados (V.3.2.3. – Método I) F. Bras. IV.
No máximo 5 ppm.

Ferro. Proceder conforme descrito em ensaio-limite para ferro. No máximo 5 ppm.

DOSEAMENTO

Dissolver em béquer cerca de 0,7 g de acetato de bário, pesados com precisão de 1 mg, em 200 ml
de água purificada. Neutralizar a solução com ácido acético 6 M. Adicionar mais 1 ml de ácido
acético 6 M e 10 ml de solução neutra de acetato de amônio 3 M. Aquecer até a ebulição e adicionar
solução quente diluída de cromato de amônio, gota a gota, com agitação constante, até precipitação
total. Deixar o béquer em banho-maria, por duas horas, para envelhecimento do precipitado.
Verificar a completa precipitação através da adição de mais algumas gotas da solução diluída de
cromato de amônio. Deixar esfriar completamente e filtrar através de placa de vidro sinterizado de
porosidade fina.. Lavar o resíduo com quantidade suficiente de água purificada aquecida até que a
água de lavagem não dê mais qualquer reação de coloração castanho-avermelhada com a adição de
gotas de solução de nitrato de prata a 1 % (p/V). Secar o resíduo contido na placa de vidro
sinterizado à temperatura de 120 ºC, até peso constante. 1 g do precipitado formado é equivalente a
1,008 g de Ba(CH CO )
3
2 2.

CONSERVAÇÃO

Em frasco de vidro neutro, âmbar, bem fechado.

FORMAS DERIVADAS

Ponto de partida. Acetato de bário [Ba(CH CO ) ].
3
2 2

Insumo inerte. Utilizar lactose até 3CH ou 6 DH e para as demais, seguir a regra geral de
preparação de formas farmacêuticas derivadas.

Método. Hahnemanniano (XI. I), Korsakoviano (XI.II), Fluxo Contínuo (XI.III); Farm. Hom. Bras.
II, 1997.

Dispensação. A partir da 3CH ou 6DH seguindo regra geral de dispensação.

Conservação. Em frasco de vidro neutro, âmbar, bem fechado

Document Outline BARYTA ACETICA Solubilidade. Facilmente sol