ACIDUM CARBOLICUM

Para que serve folheto informativo, informação para o utilizador

Folheto / Bula do Medicamento


Recomendações

  • Sempre verifique que não é alérgica a nenhum dos componentes
  • Lembre-se, sempre verifique com seu médico, a informação que nós oferecemos é indicativa e não de forma alguma substituir a de seu médico ou outro profissional de saúde.



ACIDUM CARBOLICUM


C H O; 94,11
6
6

Sinonímia homeopática. Phenolum, Phenol, Carbolicum acidum, Phenolum purum.

Nome químico. mono-hidroxibenzeno, fenol, ácido fênico.


DESCRIÇÃO

Caracteres físico-químicos. Cristais aciculares ou massa cristalina incolor ou ligeiramente rósea.
Odor característico. Deliqüescente; liquefaz-se por aquecimento pela junção de 10 % de seu peso
em água. Escurece gradualmente quando exposto à luz e ao calor.

Solubilidade. Muito solúvel em etanol e éter, solúvel em água (1:15), benzeno (1:12), glicerol,
clorofórmio, óleos fixos e em óleos voláteis; ligeiramente solúvel em parafina líquida (1:70).

Faixa de fusão (V.2.2) F. Bras. IV. 39 ºC a 41 ºC.

Ponto de ebulição. 181 ºC.

Incompatibilidades. Albumina e substâncias albuminosas, sais alcalinos, sais férricos, ácido
nítrico, iodo, nitrato de prata, permanganatos, hidróxido de cálcio, goma arábica, colódios, vaselina,
tensoativos não-iônicos. A atividade é reduzida em pH alcalino.


ESPECIFICAÇÃO

Contém, no mínimo, 99% e, no máximo, 100,5% de C H O.
6
6


IDENTIFICAÇÃO

A. A 5 ml de solução da amostra a 1 % (p/V), acrescentar 3 gotas de solução de cloreto férrico a 1
% (p/V). Observa-se o desenvolvimento de cor azul intensa a qual passa a amarela por adição de 10
ml de etanol a 96 % (V/V).

B. A 5 ml de solução da amostra a 1 % (p/V), adicionar, gota a gota, água de bromo SR. Observa-
se a formação de precipitado que se dissolve com a adição de excesso de água de bromo SR.


ENSAIOS DE PUREZA

Aspecto da solução. Dissolver 1 g da amostra em 12 ml de água purificada. A solução deve ser
límpida e incolor.

Acidez. A 5 ml da solução anterior, acrescentar 1 gota de solução de alaranjado de metila SI. Deve-
se observar o desenvolvimento de cor amarela.

Matéria não volátil. Em cápsula de porcelana previamente tarada, aquecer, em banho-maria, 10 g
da amostra pesada com precisão de 1 mg. O resíduo não deve exceder a 0,05 % (p/p).


DOSEAMENTO

Dissolver 2 g da amostra, pesada com precisão de 1 mg, em quantidade suficiente de água
purificada para a obtenção de 1000 ml em balão volumétrico. Transferir 25 ml dessa solução para
um erlenmeyer de 500 ml com tampa esmerilhada. Acrescentar 50 ml de solução de bromo 0,05 M
e 5 ml de ácido clorídrico 50% (V/V). Tapar o frasco, deixar em repouso por 30 minutos com
agitação ocasional. Adicionar, rapidamente 5 ml da solução de iodeto de potássio a 20 % (p/V);
agitar lentamente e titular com solução padronizada de tiossulfato de sódio 0,1 M até
desenvolvimento de cor amarela pálida permanente. Acrescentar, então, 1 ml de solução de amido
SR e 10 ml de clorofórmio. Continuar a titulação até o ponto final. Proceder a uma titulação em
branco. Cada ml da solução padronizada de tiossulfato de sódio 0,1 M consumido é equivalente a
1,569 mg de C H O.
6
6


CONSERVAÇÃO

Em frasco de vidro neutro, âmbar, hermeticamente fechado, ao abrigo da luz e do calor.


FORMA DERIVADA

Ponto de partida. Mono-hidroxibenzeno (C H O).
6
6

Insumo inerte. Utilizar álcool 70% até 3CH ou 6 DH e para as demais, seguir a regra geral de
preparação de formas farmacêuticas derivadas.

Método. Hahnemanniano (XI.I), Korsakoviano (XI.II), Fluxo Contínuo (XI.III); Farm. Hom. Bras.
II,1997.

Dispensação. A partir da 3CH ou 6DH, seguindo regra geral de dispensação.

Conservação. Em frasco de vidro, âmbar, bem fechado, ao abrigo da luz e do calor.


Document Outline ACIDUM CARBOLICUM Solubilidade. Muito sol